sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Como o Prosa foi Parar na Internet

O sucesso da Saga do Prosa e seu primo Porfirio foi tão grande que o pessoal não para de pedir pra postar mais estórias da dupla. Resolvemos contar como ele foi parar na web. Lembrando que é a reunião de micro-posts formato twitter:
Onti uma muié do tuiti me assuntô cumê quieu vim pará na terneti.Intaum resorvi contá o causo praela e proceis tomém.Foi ansim...

Uns tempatrais aquincasa era mais tranquilo.Sussegado inté pordemais.Era só eu, Rosinha minha muié, os fio Tunico o mais véio, a Lindarva quié a fia caçula e uma vaquinha por nome Belarmina.

Isso num deve tê mais qui 4 ano, veio um véio di barba visitá nóis cánaroça.Tava cumpanhado dum rapaiz inté benhapessoado.Inté tomô café cunóis.

Nora dimbora o tar di barba falô qui daquele dia indianti nossa vida ia mudá.Achei aquilo isquisito mais nem dei muita liga pro assunto não.

Era ditardinha, iscureceu logo e nóis foi drumi.Dimanhanzinha, levantei e fui tirá o leite da Belarmina.Era assim qui nois chamava a vaca.

O disispero foi sem tamanho pruque a Belarmina tinha sumido.Quais chorei largado...Sem vaquinha, sem leitim quentim...Ôh tristeza sô


Nóis foi prucurá ela,andemo pra todo lado.Tunico foi quincontrô ela estatelada no fundo da ribancêra.Aquilo pranóis foi triste pordemais sô

Lembrei na mema ora das palavra cuvéi dibarba tinha dito.Pensei cá cumigo:Ê disgracera di véi mardito qui vei foi rogá praga ninóis.

Nóis tinha uma istima muito grande naquela vaquinha.Mais o causo que a fome é um trem danado né?Ela já tava morta memo virô foi bife..

E o quisobrô nóis sargô e inté vendemo um muncado.Rosinha preguntô:Quequi vai sê dinóis Prosa?Cê agora vai tê qui prantá essa terra.

Ê disgracera sô!Tive qui pegá no cabo do guatambu,eu e Tunico.Mais cê vê.A coiêta foi taum boa qui deu pranóis e sobrô foi pra vendê tomém.

Vendemo e sobrô uns caraminguá pra guardá dibai do coxão.Peguei gosto e fui prantano, prantano.Dispois daquela época o trem mioró foi muito.

Inté lembrei das palavra do véi di barba dinovo.Pensei cácumeus butão:o véi dibarba tava teno era uma visão do futuro uai.

Nóis passô a cumê mió,deu pra comprá ostras vaquinha, eformá a paioça, comprá tv, e agora pururtimo o tar cumputadô pressa tar de terneti.

O Tunico vició dunjeito na terneti qui tá um pobrema.Num qué nem mais trabaiá.Vorta imeia ela tá vendo umas coisa braba.Umas muié sem rôpa!

Lindarva, já falô quiqué um só pra ela.Fica num tar di Miessiemi que fica apitano na caxola da gente dintirim.Êh trem xato sô...Ah naum.

Rosinha discubriu um tar de iorkut que é um trem dotro mundo tomém.Diz quidapravê as amiga antiga.Inté hoje nunintindi aquilo.Cumé quipodi?

Sobrô pra mim foi esse tuiti miseravi.Isturdia incontrei uma istorinha dum tar sábio, sabido, num sei direito...Fui pô sintido no trem.

O tar sábio contano qui foi numa rocinha humirde com um tar de aprendiz.Fui repará, era minha istória sem tirá nem pô.

Só qui o tar sabido, iscundido, impurró foi a vaquinha no buraco sô.Ê mardade.Ele conta qui vortô na racinha dispois prá vê o resurtado.

Tô só isperano ele aparecê aqui tomém.Vô dá nele um cacete prele aprendê a num buli cas vaquinha dos otro uai.Pruquê,se nóis miorô de vida?

Pruque si tivesse largado a Belarmina queta eu tava era na rede umora dessa uai.Tronquilo sem tê essa tar de terneti pra trapaiá. hehehehe

Um comentário:

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...