segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Cor do Amor

Mais um achado arqueológico literário pessoal.Outro poema que escrevi na minha juventude.



Cor do Amor

Da cor do seu mundo
De cor azul profundo
De mar calmo e imenso
De amor forte e intenso

Da cor de uma flor
Que não esconde o rubor
Cor de tímido, de introvertido
Mas por trás o amor, lá, escondido

Cor de folha, cor de grama
Relva verde, relva nova
Esperança de quem ama
De paixão que se renova

De arco-íris multicor
Alegre, extrovertido
De riso desinibido
Cor de amor...

Escuro, cor cizento
Cinza de céu nublado
Fria cor de cimento
Cor de amor acabado...


Heber Dias de Sousa © Todos os direitos reservados - 1984

Um comentário:

  1. Gostei do seu poema! Não conhecia esse lado de sua prosa. Parabéns!!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...