terça-feira, 18 de agosto de 2009

Depois dos atos secretos vem a farra dos gastos secretos

Não conseguimos engolir ainda os nefandos atos secretos do senado, agora nos vem os gastos secretos do governo com cartões corporativos. A farra da gastança tem o simpático nome de despesas sigilosas e representam 44,95% dos 34 milhões já torrados. Se você for pego sonegando corre até o risco de ser enjaulado, mas eles gastam quanto querem e como querem a grana preta que somos obrigados a pagar na forma de trocentos impostos (acochados por uma pornográfica carga tributária). E está tudo bem? É bom lembrar que o brasileiro tem que trabalhar até o fim de maio para financiar essa esbórnea aloprada.


Esta charge do Sponholz foi feita originalmente para o Jornal da Manhã (PR)



Quase metade dos gastos do governo com cartões são secretos, diz jornal
Até julho de 2009, governo gastou R$ 34 milhões com cartões corporativos. Desse total, R$ 15,7 milhões foram faturados em despesas sigilosas.

Do G1, em Brasília

Levantamento sobre as despesas com cartões corporativos do governo federal, registradas no Portal da Transparência, mostra que os gastos sigilosos já representam 44,95% do total de todas essas contas, mostra reportagem publicada nesta terça-feira (17) pelo jornal “Estado de S. Paulo”.

Até julho de 2009, de um total de R$ 34.975.225,45 com despesas de cartões corporativos, R$ 15.721.590,91 têm seu conteúdo protegido por lei. Esse porcentual chega próximo da metade de tudo o que é gasto com cartão no governo, diz o jornal.
Em 2008, de um total de R$ 55.257.326,02 em despesas com os cartões corporativos, R$ 18.712.166,98 representaram gastos secretos, equivalendo a 33,86% de todas as contas dessa modalidade.

O aumento pode ser justificado com a migração completa dos pagamentos feitos em outra modalidade (as chamadas contas do tipo B, que usavam talões de cheques) para os cartões corporativos. Como as despesas das contas do tipo B não eram contabilizadas junto com os cartões, o total de despesas sigilosas foi menor no ano passado. Essa explicação, inclusive, é chancelada pela Controladoria Geral da União (CGU), responsável pelo abastecimento de dados do portal.

O Fundo para Aparelhamento e Operação das Atividades da Polícia Federal responde por cerca de R$ 7,5 milhões em contas secretas. A Secretaria de Administração da Presidência da República fez aproximadamente R$ 4,5 milhões em gastos sigilosos. Já a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teve despesas secretas de cerca de R$ 3,2 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...