sábado, 29 de agosto de 2009

Passaram a perna no Francenildo

Que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco não é novidade nenhuma, mas o grande problema agora é:

Como podemos confiar no sigilo bancário?
Eles podem meter o focinho em nossas contas bancárias sempre que tiverem vontade?
Se o sigilo bancário foi pras cucuias, como confiar no restante do sistema?

É assim: para os desafetos funcionam os grampos e todo o tipo de arapongagem, quebra de sigilo telefônico, bancário, do direito de ir e vir sem ser filmado, gravado ou fotografado. Para eles, arquiva-se tudo, perdem-se filmagens de câmeras de segurança, agendas somem, ninguém sabe das monstruosas movimentações financeiras que eles fazem.

Moral da história: Quer sigilo? Filie-se no PT.

Desempregado, vivendo de bicos, o caseiro Francenildo dos Santos Costa passa os dias na expectativa de uma decisão da 4ª Vara da Justiça Federal de Brasília sobre as ações de indenização por danos morais movidas contra a Caixa Econômica Federal e a revista "Época". Tramitam desde abril de 2006. Francenildo mora na cidade-satélite de São Sebastião (DF).

Estelionato

Um aluno de Direito é chamado pelo professor para um exame oral:

- O que é estelionato?

Responde o aluno:

- É o que o sr. professor está fazendo.

O professor, muito indignado:

- Ora essa, explique-se!

Diz o aluno:

- Segundo o Código Penal, comete estelionato todo aquele que se aproveita da ignorância do outro para prejudicá-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...