sábado, 1 de agosto de 2009

Lula ameaça industria da informática nacional com o PLAF


Charge usando traços do Benett

O vírus do Collor contaminou Lula. Se lembram quando o Collor ameaçou importar carros porque não aguentava mais andar nas carroças nacionais? Lula repete o gesto, fazendo pressão para baixar o preço dos laptops.

Pois é... até pode dar certo. Ele pode criar o PLAF - Programa Laptop Família
Mote: Nunca antes na história deste país o povo foi tão conectado.

Viva o PLAF !


Lula ameaça importar laptops se indústria nacional não baixar preços

'Queremos redução de preço', afirmou o presidente nesta sexta.
Computadores estão sendo distribuídos em escolas públicas do país.

Da Reuters

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (31) que o governo importará computadores para distribuir a alunos de escolas públicas se a indústria nacional não reduzir os preços cobrados pelos equipamentos.

Lula participou da cerimônia de entrega de 6,2 mil notebooks em Piraí, município do interior do Rio de Janeiro. Ele disse que o governo decidiu em 2007 distribuir 350 mil laptops para escolas de todo o país, mas até agora o programa tem problemas para sair do papel devido a disputas no processo de licitação.

"Estamos querendo combinar uma redução de preço", discursou o presidente.

"Eu sou o maior defensor da indústria nacional, mas, se a indústria nacional não conseguir fazer a um preço acessível, nós vamos ter que importar alguns para fazer com que a política chegue à população mais pobre desse país", acrescentou.

Procurada, a Positivo Informática - que produziu os computadores entregues nesta sexta em Piraí - disse que não poderia se pronunciar sobre sua política de preços por estar no período de silêncio que antecede a divulgação de seu balanço.

Lula, que também se queixou do fato de ainda não ter sido lançado um notebook ao preço de US$ 100 (cerca de R$ 200), disse que o governo disponibilizará R$ 600 milhões para financiar programas de inclusão digital de prefeituras.

Segundo nota divulgada pelo Palácio do Planalto, os 6,2 mil notebooks distribuídos em Piraí custaram R$ 5,3 milhões. Do total, o governo do Rio de Janeiro custeou R$ 4 milhões, enquanto que a prefeitura da cidade arcou com R$ 1,3 milhão.

Cliente governamental

Quase um em cada cinco computadores vendidos pela Positivo Informática nos primeiros seis meses de 2009 foi destinado a clientes governamentais. De janeiro a junho, foram 142,6 mil máquinas aos governos, de um total de 765,6 mil desktops e laptops comercializados.

Segundo divulgou a empresa na semana passada, o volume de vendas aos clientes governamentais teria sido maior "não fosse a postergação do cronograma para alguns projetos".

A carteira contratada junto a governos para 2009 é de 322 mil computadores. A Positivo também já tem contratadas outras 94 mil unidades com previsão de entrega em 2010.

"Espera-se, ainda para 2009, leilões de volumes significativos para escolas e áreas administrativas do Ministério da Educação, para telecentros de inclusão digital do Minicom e de novos projetos de subsídio à compra de notebooks por professores", informou a empresa.

"Adicionalmente, o IBGE anunciou que licitará, também em 2009, netbooks a serem utilizados no Censo de 2010", completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...