segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Sarney diz que cafofo nem foi pago ainda e que economiza grana do estado

Sarney afirma estar vivendo um processo Kafkiano, referindo-se ao personagem da obra "O Processo" de Franz Kafka. Mais uma vez alega nem saber quais são as acusações contra ele. Digamos que ele acertou o autor mas errou a obra. Não se trata de "O Processo", mas sim de "Metamorfose". Ele já se transformou em uma enorme barata e nem uma explosão nuclear poderia exterminá-lo. Quanto aos apartamentos, (tsc) alega economizar a grana do estado por morar em um cafofo de 85 metros quadrados. Puxa! Como alguém pode morar em um "apertamento" destes? Para quem é dono do Maranhão, deve ser um enorme sacrifício.




Sarney critica jornal e nega compra de apartamentos por empreiteira

Reportagem disse que empresa comprou apartamentos usados por Sarney
Presidente do Senado acusou jornal de campanha 'nazista'.

Eduardo Bresciani
Do G1, em Brasília

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), acusou nesta segunda-feira (17) o jornal "O Estado de S. Paulo" de promover uma campanha 'nazista' contra ele. Ele também disse viver um processo “kafkiano”, em referência ao personagem da obra “O processo”, do escritor Franz Kafka, que é condenado sem saber qual a acusação contra ele.
Sarney se defendeu em plenário da acusação de que uma empreiteira teria pago dois apartamentos em São Paulo para sua família. A denúncia foi publicada no domingo (16) pelo pelo "O Estado de S.Paulo". Ele negou o fato e fez críticas ao jornal.
“É uma prática nazista de acabar com as pessoas, denegrir sua honra, sua dignidade até levar para as câmaras de gás Felizmente, no Brasil não temos câmara de gás”, disse.

Sobre os apartamentos, Sarney destacou as explicações dadas por seu filho, o deputado Sarney Filho (PV-MA). O deputado declarou em seu Imposto de Renda pagamentos relativos ao apartamento, comprado pelo dono da empreiteira. Segundo o presidente do Senado, não há escritura porque o pagamento não foi concluído.

O presidente do Senado disse ter comprado um apartamento no prédio citado pelo jornal em 1977. Posteriormente, seu filho adquiriu os dois apartamentos, que paga de forma parcelada. Sarney destacou que sempre se hospeda no local. Ele enfatizou que sua decisão de ficar em seu próprio apartamento gera a economia para a Casa por não usar a verba de representação a que teria direito.

“Eu estou economizando para o estado, morando lá em um ‘apartamentozinho’ de 85 metros quadrados”, disse Sarney.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...