quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Tá dominado... tá tudo dominado!

Após meter o pé na bunda da Ana Lúcia Novelli, que ocupava a Secretaria de Comunicações do Senado, Dom Vito Sarneyone nomeou Fernando César Mesquita, seu assessor e braço direito há 25 anos. Em 1995, Mesquita foi responsável pela montagem da estrutura da secretaria, responsável, entre outras atribuições, pela TV e Rádio Senado. Sarneyone nega que houve motivações pessoais e que quicou Novelli porque ela dava muito destaque a crise do senado, da qual ele é o pivô. Fernando César Mesquita, por sua vez, jura que vai manter isenção na cobertura dos fatos no senado. Tá certo... Ele vai isentar seu patrão de toda a merda que ocorra por lá. Após amordaçar o Estadão, é evidente que ele não ia aceitar a mídia do senado acendendo holofotes sobre seus podres. Pena que esse ato não pode ser secreto não é Dom Vito Sarneyone? Ele é dono da mídia no maranhão, e por lá, só se sabe das suas mazelas porque existe a internet. Ele pensa que mídia do senado também é dele, aliás, pensa que o senado também é. Na verdade ele pensa que é dono de Brasília. Será que esse cara bate bem da caxuleta? E nós continuamos assistindo tudo de camarote com uma enorme bola vermelha no meio da cara, e não é nariz inchado pela gripe suína não...




Nomeação de aliado de Sarney é publicada no Diário Oficial

Do Diário OnLine

O Diário Oficial da União publicou nesta quarta-feira a nomeação de Fernando César Mesquita como diretor da Secretaria de Comunicação Social do Senado. A mudança foi determinada pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), que há 25 anos mantinha Mesquita como assessor em seu gabinete.

Após ser questionado pelo líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), o peemedebista justificou a alteração administrativa como "absoluta necessidade de serviço". Sarney lembrou, ainda, a reforma administrativa que o Senado irá enfrentar a partir da implantação das propostas da FGV (Fundação Getúlio Vargas).



Braço direito de Sarney, novo diretor de comunicação do Senado diz que manterá "isenção" na cobertura

Claudia Andrade e Piero Locatelli
Do UOL Noticias
Em Brasília

O novo diretor da Secretaria de Comunicação do Senado Federal, Fernando César Mesquita, negou que sua nomeação para o cargo tenha sido motivada por uma insatisfação do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), com a cobertura jornalística dos veículos oficiais. "Não tem nada disso", disse.

No Portal Transparência do Senado, Mesquita aparece como assessor comissionado admitido em fevereiro de 2003. No entanto, sua relação com o presidente da Casa é muito mais antiga. O jornalista foi porta-voz de Sarney quando ele ocupou a Presidência da República e, em 1987, foi nomeado por este como o primeiro - e único - civil a governar a ilha de Fernando de Noronha. Mesquita ocupou ainda a presidência do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente), órgão criado no governo Sarney.

Fernando Mesquita afirmou que foi chamado para dirigir a secretaria por conta da reestruturação administrativa que está sendo preparada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) para o Senado e que prevê corte de custos. "O senador Sarney pediu para eu conduzir essa reforma, porque a comunicação não pode ser mutilada. Eu fui autor do projeto de comunicação do Senado há mais de dez anos, que foi aprovado dentro dos princípios básicos de independência, isenção, sem censura a ninguém e com total liberdade. Vou conduzir agora mantendo essa isenção, sem privilégio para ninguém".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...