domingo, 16 de agosto de 2009

Vai que o verde cai nas graças do povão...

Republico interessantes considerações do parceiro Marcos Pontes. Não se deve brincar com coisa séria. Verde é uma cor extremamente sedutora. As pessoas contemplam as verdinhas e pronto, está feita a merda... daí fazem qualquer merda pelas verdinhas. Dão um tapa na macaca verde e pronto de novo... fazem qualquer merda para continuar estapeando a bichinha. Depois de experimentar o azul e descobrirem que não era lá estas coisas, experimentar o vermelho mensaleiro e perceber que, no fundo é tudo a mesma coisa, o povo pode querer experimentar o verde. Será?...

Domingo leve

iamancio

  • Tirando o vira-mexe-entorna-e-deixa do Senado, a sensação da semana foi a candidatura que não é de Marina Silva. Sabe-se lá de onde surgiu o balão de ensaio, mas o fato dela ter ficado à frente da Terrorista Quase Humana na dita pesquisa deve ter causado alvoroço no Palácio do Planalto e nas hostes do PT.

  • O PV está quietinho, dando risada com o rebuliço. Marina está toda prosa, dando entrevista para a Isto É com o ar soberbo dos candidatos que tentam esconder o jogo e o PT não sabe se passa a rasteira em Lula e troca de candidata ou fica com a canoa furada de Dilma.

  • Marina também não é uma canoa em bom estado. A cidadã Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, 51 anos, nascida num seringal, foi adotada por padres católicos em Rio Branco e lá se filiou ao Partido Revolucionário Comunista, um daqueles muitos que formavam o emaranhado esquerdista que era o PT. Do desejo de ser freira só restou a lembrança. Foi alfabetizada pelo Mobral, Movimento Brasileiro de Alfabetização, altamente condenado pelas esquerdas por ter sido um projeto dos militares.

  • Pensando bem, melhor teria sido o Mobral não existir, assim os analfabetos como Marina não poderiam se candidatar a cargo público. Voltando à biografia da senadora:

  • Tida como uma política honesta e séria, a criacionista Marina que deixou a igreja católica para tornar-se evangélica e tomadora de chá de ayahuasca, tem lá muitos méritos, mas como Cristóvam Buarque foi o candidato de um tema só, a Educação, Marina também só tem um tema: o meio ambiente.

  • Nesse metier ela é premiadíssima, respeitadíssima e competentíssima, mas os ambientalistas radicais como ela preferem ver populações ribeirinhas da Amazônia, por exemplo, morrerem de fome do que verem implantados agronegócios que alavanquem a economia local e acabem com a miséria absoluta em que vivem vários povos, inclusive os de onde veio a senadora Marina.

  • O brasileiro votou em Collor, Lula, FHC, além de em incontáveis prefeitos, deputados, senadores e vereadores como se fossem eles os salvadores da pátria e o mingau só tem desandado. Marina pinta para alguns como mais uma salvadora da pátria. Seria terrível engano elegê-la presidenta. Ela seria um Lula mais honesto, pelo menos enquanto não conseguissem corrompê-la.

  • Dizem que Lula não se reune com seus ministros porque não entenderia nada do que eles dissessem sobre as questões técnicas de suas pastas. O mesmo aconteceria com Marina. Tudo bem que ela é graduada em História pela Universidade Federal do Acre, um nível de escolaridade infinitamente maior que a do atual presidente, mas está longe de ter equilíbrio para se posicionar em questões cruciais na administração pública como geração de energia, emprego e renda, sistema de transporte de passageiros e de cargas, sistema viário, saúde pública, educação, macroeconomia, comércio exterior e, pior, tem um viés bolivariano mais próximo da visão autoritária de Chávez do que o beócio-mor.

  • Ontem, dia 15, uma pesquisa dirigida realizada e divulgada pela Datafolha tenta colocar as coisas em seus devidos lugares: Marina aparece atras de Ciro e Dilma. Não é nenhum grande alívio, mas dá o alento de que o brasileiro ainda não endoideceu de vez.

  • Partidários de candidaturas como a de Ciro, Serra, Aécio e Heloisa Helena estão vibrando com a possibilidade de Marina destruir a candidatura da Terrorista Quase Humana, mas, cá pra nós, não se deve brincar com coisa séria. Marina, com seu ar de honestidade e história de crescimento duro e paulatino na vida, pode sensibilizar demais a alma caridosa e corrupta dos brasileiros e acabar se elegendo. Não devemos brincar com coisa séria.

©Marcos Pontes

by Marcos Pontes - Blog Esculacho e Simpatia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...