quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Verdes tentam arrastar ex-ministra Marina Silva para ser candidata em 2010

Apesar de ter o péssimo hábito de renunciar sob pressão, seria um nome feminino plausível para disputa à presidência em 2010, já que Dilma disse que o Brasil está maduro para ter uma mulher lá. Em função de sua conduta ética louvável, será uma boa alternativa para retalhar o eleitorado feminino que vai ter no menu: Dilma Rousseff, Marina Silva e Heloísa Helena. Meu Deus! Será que não temos nomes melhores?


Sim temos vários outros nomes. Vejam postagem anterior deste blog:

Quem disse que Dilma só fala besteiras?


Berzoini tenta evitar que Marina Silva deixe o PT

A senadora vem sendo assediada pelo Partido Verde (PV).
Presidente do PT disse não ter conversado ainda com a senadora.

Do Valor OnLine - Via G1


O presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), disse que não existem razões para que a senadora Marina Silva (PT-AC) deixe o partido para filiar-se ao Partido Verde (PV). Marina vem sendo assediada pelo PV, que com ela já manteve uma reunião de quatro horas para analisar resultados de uma pesquisa apontando a senadora com 10% a 14% de intenção de voto para presidente da República em 2010, em diferentes cenários.

Berzoini disse não ter conversado ainda com a senadora, mas que ela é muito importante para a história do partido. " Ela é fundadora do PT, um símbolo nas lutas ao lado de Chico Mendes ", recordou.

Para Berzoini, Marina é importante não apenas para o PT, mas para o Acre. " Ela foi fundamental para que o Acre deixasse de ser dominado pelo crime organizado e passasse a ser um Estado onde a democracia virou uma regra " , elogiou o presidente petista, numa demonstração de que a eventual candidatura da senadora à Presidência preocupa o partido. " Espero que ela reflita sobre isso antes de tomar uma decisão ".

O líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza (SP), considera natural que o PV queira articular uma aliança com os aliados, mas acha pouco factível que Marina aceite deixar o partido para rumar em uma candidatura presidencial por outra legenda. " Ela precisará examinar sua consciência e pesar bem antes de tomar uma decisão como esta".


Marina desgastou-se muito durante sua gestão no Ministério do Meio Ambiente, comprando brigas com vários companheiros de Esplanada, incluindo o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes e a chefe da Casa Civil, ministra Dilma Rousseff, para quem perdeu todas as batalhas. Para Vaccarezza, contudo, Marina não pode alegar decepção com o governo para tomar alguma decisão. " Ela ficou seis dos oito anos do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É co-responsável por qualquer decisão tomada ao longo deste tempo".

Para o líder do PT na Câmara, a decepção poderia ser um argumento se ela tivesse ficado um, dois, três meses no cargo. " Mas ela ficou 75% do mandato do presidente Lula " , frisou o deputado. Berzoini foi bem mais polido, afirmando ser natural a divergência interna. " Eu fui companheiro de Ministério de Marina. Sei que ela vai ponderar isto no momento oportuno".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante aqui. Ao comentar você nos incentiva a continuar nosso trabalho. Responderei neste mesmo espaço. Vamos prosear...